Rice promete esforço pessoal pela paz no Oriente Médio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 18 de janeiro de 2005 as 21:27, por: cdb

A futura secretária norte-americana de Estado, Condoleezza Rice, prometeu na terça-feira um enorme esforço pessoal para aproveitar as oportunidades de paz no Oriente Médio, num sinal de que Washington vai retomar a iniciativa diplomática na região.

Durante a maior parte do seu primeiro mandato, o presidente George W. Bush se manteve afastado do conflito entre israelenses e palestinos, mas Rice disse que, com a recente eleição de uma nova liderança palestina, “atingimos um momento de oportunidade, e devemos aproveitá-lo.”

“Espero trabalhar pessoalmente com os líderes palestino e israelense e fazer com que a diplomacia norte-americana tenha peso nesta questão difícil, mas crucial”, disse ela à Comissão de Relações Exteriores do Senado, que deve aprovar sua nomeação para o cargo na quarta-feira.

Sem definir qual seria o papel de Bush nesse processo, ela disse que haverá “engajamentos em todos os níveis, e espero que eu mesma gaste um enorme esforço nessa atividade.”

Bush falou na terça-feira ao rei Abdullah, da Jordânia, sobre a “necessidade de conter os ataques terroristas” contra Israel, segundo o porta-voz da Casa Branca, Scott McClellan.

Os líderes concordaram sobre a necessidade de ajudar o recém-eleito governo palestino de Mahmoud Abbas “enquanto se constróem as instituições necessárias para que surja um Estado democrático viável”, de acordo com McClellan.

Os palestinos esperam que a eleição de Abbas, em 9 de janeiro, leve a uma rápida retomada do processo de paz, mas autoridades norte-americanas já deram a entender que não pode haver pressa, porque antes elas querem ver como agirá o novo governo palestino.

Em seu depoimento, Rice pediu a Israel que “faça a sua parte para melhorar as condições sob as quais os palestinos vivem e tentam construir um futuro melhor.” Mas disse também que “os Estados árabes têm responsabilidades aqui, e eles não podem incitar a violência contra Israel com uma mão e com a outra propor a paz com uma solução com dois Estados.”

Nesta semana, o governo de Israel rompeu os contatos preliminares com Abbas, dizendo que ele se mostra incapaz de controlar a violência dos militantes. Abbas ordenou na segunda-feira que as forças palestinas de segurança impeçam atentados contra Israel por parte dos militantes que ignoram seus apelos por trégua.

Rice disse que este é um “momento de responsabilidade”. “A nova liderança palestina, nas suas palavras, está dedicada a combater o terror; precisa estar dedicada de fato a combater o terror”, afirmou ela.

A futura secretária não descartou a nomeação de um enviado especial para o Oriente Médio, como propõem alguns, mas disse ter dúvidas sobre se este é o momento mais apropriado.