Relator conclui seu trabalho sem citar todos os deputados mensaleiros

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 30 de março de 2006 as 09:14, por: cdb

Blindagem parlamentar

Após nove meses, o relator da CPI dos Correios, Osmar Serraglio, não listou todos os mensaleiros do Congresso. O relatório informa que a CPI quebrou o sigilo de 365 pessoas e de empresas investigadas. Mas, dentre elas, o de nenhum deputado ou senador. Coincidência ou corporativismo? O deputado Chico Alencar (PSol-RJ) tem defendido que, uma vez eleita ou nomeada para cargo público, a pessoa perca direito ao sigilo bancário. É uma boa idéia.

 

O indiciamento de Dirceu

A alguns causou estranheza o pedido de indiciamento de José Dirceu no relatório de Serraglio. Mas alguém, em sã consciência, pode crer que Delúbio Soares decidia sozinho os que receberiam aquela dinheirama derramada no mensalão? Quem, até o escândalo Waldomiro,.o responsável no governo Lula pela relação com a base parlamentar? O chefe da Casa Civil, José Dirceu.

 

Tudo como dantes…

Para acalmar os bancos e deixar claro que, mesmo sem Palocci no governo, nada muda, Lula deu mais um passo na submissão ao capital financeiro. Afirmou publicamente que o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, vai se reportar a ele, não ao novo ministro Guido Mantega. Com isso a banca deixa de ter qualquer razão para se preocupar.  Meirelles é um dos seus. Saiu da presidência da matriz do BankBoston para dirigir o BC.

 

Arapongas em ação

A oposição a Lula – seja a de direita, formada por PSDB e PFL, seja a de esquerda, o PSol – vai usar na campanha a imagem do caseiro Francenildo derrubando o poderoso ministro queridinho dos bancos. Sabedor de que isso pode ter forte efeito eleitoral, o governo continua tentando desconstruir a imagem de Francenildo. O caseiro está tendo a vida esquadrinhada pelos arapongas.

 

Operador de caixa dois preso

Lobista arrecadador de campanhas eleitorais, algumas das quais suspeitas de ter trabalhado com caixa dois, foi condenado ontem a cinco anos e dez meses de prisão por fraude. Calma, gente. Isso não foi no Brasil. Aconteceu nos Es