Região Norte poderá ser grande área olímpica com ajuda de cubanos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 2 de julho de 2003 as 13:18, por: cdb

A região Norte do país deverá ser transformada numa grande área olímpica, e para desenvolver o projeto o Brasil quer contar com treinadores cubanos.

A informação foi dada nesta quarta-feira pelo ministro do Esporte, Agnelo Queiroz, ao assinar convênio de cooperação com o vice-presidente do Conselho de Estado e secretário do Conselho de Ministros de Cuba, Carlos Lage.

Também firmaram o convênio, pelo lado cubano, o ministro de Relações Exteriores, Felipe Perez Roque, e o embaixador de Cuba no Brasil, Jorge Lezcano.

A secretária nacional de Esporte de Alto Rendimento, Maria Paula Gonçalves, disse que as modalidades esportivas preferidas pela juventude da região são natação, handebol, boxe, atletismo, judô, voleibol e tênis de mesa. Pesquisa feita recentemente pelo Ministério traçou o perfil esportivo dos jovens.

De acordo com Agnelo Queiroz, o ministério vai analisar com os comitês Olímpico e Paraolímpico brasileiros as modalidades esportivas em que os cubanos mais se destacam. A idéia é enviar, depois, técnicos para reciclagem e importar a técnica para os nossos atletas e treinadores.

Segundo o secretário nacional de Desenvolvimento de Esporte e Lazer, Lino Castellani, o Brasil deseja aproveitar a tecnologia cubana e desenvolver uma rede de informações e documentação esportiva semelhante à que existe naquele país.

Essa rede, explicou Castellani, poderá controlar todas as informações sobre o esporte, inclusive teses, calendários e resultados de campeonatos.

Maria Paula Gonçalves explicou que o convênio com os cubanos permitirá aprimorar a capacitação profissional de atletas e técnicos brasileiros, bem como desenvolver o Centro Olímpico de Manaus.

Paula disse ainda que pretende estudar o sistema cubano de controle antidoping para ver a possibilidade de o Brasil adotar o mesmo sistema.