Reforma trabalhista resultará de negociação entre todos os setores, diz Lula

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 14 de janeiro de 2005 as 14:27, por: cdb

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse em entrevista à edição de janeiro da revista Indústria Brasileira, uma publicação da CNI, Sesi,Senai, e IEL, que tanto empresários quanto trabalhadores podem ficar tranqüilos em relação às mudanças nas áreas sindical e trabalhista.

– Minha história de vida se confunde com a luta pela liberdade e autonomia sindical. Por isso, é um compromisso do meu governo promover uma reforma sindical e trabalhista que seja fruto da negociação entre governo, trabalhadores e empregadores – disse.

Lula lembrou que o Fórum Nacional do Trabalho, que já concluiu a proposta de reforma sindical e elaborou, com base no resultado das negociações, o anteprojeto de lei de Relações Sindicais, foi criado com esse objetivo.

Ele reafirmou que a proposta prevê alterações na organização sindical, na negociação coletiva, nas formas de solução de conflitos, no direito de greve e na representação dos trabalhadores no local de trabalho.

– Esse é o primeiro passo para o amplo reordenamento jurídico-institucional das relações de trabalho, que se faz necessário no Brasil. A mudança na legislação trabalhista é o passo seguinte – anunciou.

Para Lula a atualização das leis trabalhistas é importante porque vai torná-las compatíveis com as novas exigências do desenvolvimento nacional e com a realidade atual do mundo do trabalho, de forma a reduzir a informalidade na economia e permitir maior equilíbrio social.