Reform quer oficializar separação na comunidade anglicana

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 3 de novembro de 2003 as 02:46, por: cdb

O grupo evangélico britânico Reform avalia que a comunidade anglicana deve oficializar agora uma separação de fato, depois da consagração no último domingo de Gene Robinson como o primeiro bispo homossexual do ramo americano da Igreja anglicana.

– Gene Robinson e todos os bispos que o apoiaram decidiram dividir a Igreja anglicana, ultrapassando o limite do aceitável – declarou um porta-voz da Reform.

A opinião, entretanto, não é partilhada por todos os membros da comunidade. O reverendo Colin Coward, diretor da Changing Attitude, por exemplo, considerou que esta consagração oferece ‘uma nova realidade espetacular’ à comunidade anglicana.

A consagração de Robinson ‘vai inspirar nova confiança aos cristãos homossexuais, lésbicas, bissexuais e heterossexuais’, declarou o diretor desta organização de bispos e sacerdotes anglicanos homossexuais.

A Igreja anglicana se mostrou mais dividida do que nunca neste domingo, enquanto acontecia a cerimônia de consagração do bispo homossexual de 56 anos, divorciado e com dois filhos, em um centro da Universidade de New Hampshire em Durham.

O arcebispo de Canterbury, chefe espiritual da Igreja anglicana, Rowan Williams, expressou em um comunicado seu ‘profundo desgosto’ pelas divisões internas suscitadas pela consagração de Robinson.

Estas divisões ‘ficarão muito visíveis a medida que não será possível para o Ministério de Gene Robinson como bispo que seja aceito por todas as províncias da comunidade’, destacou o chefe da Igreja anglicana.

Williams aceitou a boa fé de quem consagrou Robinson, mas convocou-os a ‘examinar com honestidade os efeitos no ministério e na arrasadora maioria dos anglicanos, em particular no mundo não ocidental’.

O arcebispo anglicano da Nigéria, Peter Akinola, disse nestes últimos meses que a consagração de bispos homossexuais o obrigaria a realizar a separação de sua Igreja, que tem 17,5 milhões de fiéis.

No ramo americano, a chamada Igreja episcopal, com 2,1 milhões de adeptos, um grupo de 24 bispos conservadores ameaçou deixar a comunidade se Robinson se tornasse bispo.