Redes de fibra ótica terão incentivo do governo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 3 de setembro de 2001 as 16:48, por: cdb

O governo Fernando Henrique Cardoso já definiu quais os setores da economia que terão prioridade nos programas de incentivo e pesquisa estratégica, sendo que uma das áreas prioritárias é a de redes óticas. “Vamos estudar maneiras de incentivar as empresas a investirem na pesquisa de backbone ótico”, garantiu o secretário executivo do Ministério da Ciência e Tecnologia, Carlos Américo Pacheco, durante a 3ª Conferência Internacional – A Comunidade das Nações Ibero-Americanas e a Economia da Informação, realizada na Fundação Padre Anchieta, em São Paulo.

O secretário participou do painel “Economia dos Conteúdos”, que debateu os vários aspectos ligados ao conteúdo e sua inserção no cenário das novas tecnologias. Segundo o consultor Luís Pedro Duarte, da Deloitte Consulting, de Portugal, que participou dessa discussão, a regionalização do conteúdo nos noticiários e programas, em geral, é uma tendência que já vem sendo adotada por grandes redes de televisão mundiais, como a CNN e a MTV.

Ainda durante este painel, o economista português Paulo Soeiro de Carvalho destacou que o bem mais escasso da nova economia são as competências digitais.

Estratégia

Durante a apresentação no painel, o secretário-executivo citou que, além das redes óticas, as outras áreas estratégicos, definidos pelo governo após consultas a vários setores, entre eles o empresarial, são: Voz sobre IP, tecnologias wireless, área de mobilidade, mídia digital, terminais de baixo custo e universalização do acesso à Internet.

O secretário lembrou que um outro desafio do governo é unir acessibilidade ao conteúdo. “No momento, o governo vem disponibilizando o seu conteúdo enquanto entidade”. Ele afirmou, entretanto, que o executivo já está discutindo outros temas que envolvem qualidade de serviço, concorrência, política industrial, tarifação, redes públicas, ampliação do acesso dos municípios aos provedores e outros componentes que irão contribuir para levar a rede mundial a um maior número de usuários.