Recuperação à vista: dólar cai pelo 5° dia

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 19 de dezembro de 2002 as 21:40, por: cdb

O mercado financeiro teve um dia de ótimas notícias. O dólar comercial registrou nesta quinta-feira o quinto dia consecutivo de queda, desta vez impulsionado pelo bom resultado dos leilões da dívida cambial realizados pelo Banco Central no início da tarde. O dólar comercial conseguiu atravessar a barreira dos R$ 3,50 e encerrou o dia cotado a R$ 3,480 (queda de 1,28%), o menor nível desde o dia 20 de setembro. Na mínima do dia, foi negociado a R$ 3,462.

O BC conseguiu colocar integralmente os lotes de contratos ofertados, com alongamento de prazos e redução de juros, e com isso já conseguiu rolar o equivalente a 65,5% do vencimento do próximo dia 2 de janeiro, no valor de US$ 2,6 bilhões. A boa notícia é que esse vencimento representa quase a metade dos US$ 5,7 bilhões de cambiais que vencem em janeiro. Em fevereiro esse volume cai para algo em torno de US$ 3 bilhões e a partir de março para volumes um pouco acima dos US$ 1 bilhão, aliviando de maneira significativa o peso desses vencimentos sobre o comportamento do dólar num mercado sem liquidez.

O Departamento de Mercado Aberto do Banco Central informou nesta quinta-feira que conseguiu renovar 65,5%, o equivalente a US$ 1,695,5 bilhão, de uma dívida cambial de US$ 2,6 bilhões que vence no próximo dia 2 de janeiro.

Foram feitas duas operações com o intuito de renovar a dívida. Na primeira operação, o BC conseguiu rolar 47,1% da dívida, oferecendo às instituições até 31,1 mil contratos com vencimentos em 1 de julho de 2003; 2 de janeiro de 2004; 1 de julho de 2004 e 3 de janeiro de 2005. Nesta operação, foram renovados US$ 1,220 bilhão.

Na segunda operação, mais 18,4% da dívida cambial vincenda foram rolados, o equivalente a US$ 475,4 milhões. Na operação, foram oferecidos até 18,9 mil contratos de “swap” cambial, também com quatro vencimentos diferentes em fevereiro e julho de 2003 e, janeiro e julho de 2004.

Na operação de “swap” cambial, na liquidação as instituições recebem a diferença entre a variação dos juros e do dólar em determinado período. Na última rolagem de uma dívida que venceu dia 18, o BC alongou 93% do vencimento.

Ainda hoje, o BC realizou um leilão de US$ 100 milhões linha externa, no qual o BC vende a moeda norte-americana com o compromisso de recomprá-la num período pré-determinado.

Na sexta, o BC fará novo leilão, também ofertando US$ 100 milhões.