Receita paga o quinto lote de restituição do IR

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 16 de outubro de 2006 as 10:35, por: cdb

A Receita Federal pagou, nesta segunda-feira, o quinto lote de restituições do Imposto de Renda da Pessoa Física 2006, ano-base 2005. O contribuinte, que ainda não sabe se foi contemplado, precisa apenas acessar o site da Receita Federal e informar o número do CPF. A consulta também pode ser feita pelo telefone 0300-789-0300. Até o momento, este é o lote em que mais contribuintes serão beneficiados.

A Receita informa, ainda, que foram processadas 1.435.311 declarações com direito à restituição, no valor total de R$ 1.209.999.970,31. O dinheiro foi depositado no banco informado pelo contribuinte, com correção de 6,95%, referentes a taxa básica de juros, a Selic, de maio a setembro, mais 1% de outubro. A Receita ressalta que o valor depositado não terá qualquer outro acréscimo, independentemente da data em que o montante for sacado.

A pessoa que na declaração não informou o número da conta na qual a restituição deveria ser depositada deve procurar uma agência do Banco do Brasil. Outra opção é ligar para os telefones 4004-0001 (no caso de quem mora nas capitais) ou 0800-729-0001 (para as demais localidades).

A transferência do valor da restituição será feita para qualquer banco em que o contribuinte tenha conta corrente ou poupança.

Consultas

Aquele contribuinte que não estiver incluído neste quinto lote poderá verificar se a declaração do IR ficou retida na malha fina. O sistema do Fisco, inclusive, é capaz de indicar as falhas cometidas na hora do preenchimento do documento. A consulta à malha fina também é feita pelo site da Receita. Basta acessar o campo ‘Onde Encontro’, no canto superior esquerdo da tela, e em seguida clicar em ‘Extrato da Dirpf’. Na nova janela, o contribuinte deve completar os campos em branco com os números do CPF e do recibo da declaração do IR.

O programa poderá apontar o erro, dando ao contribuinte a oportunidade de corrigir o problema. As falhas mais comuns, informa a Receita, ocorrem na indicação da fonte pagadora de rendimentos ou nas indicações incorretas de gastos com saúde.