Rebelo almoça na ABL e conversa com imortais sobre a língua portuguesa

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 28 de abril de 2006 as 11:57, por: cdb

Presidente da Câmara, Aldo Rebelo almoçou com os integrantes da Academia Brasileira de Letras (ABL), nesta sexta-feira, na sede da ABL, Centro do Rio de Janeiro. Entre os acadêmicos presentes estavam o presidente da instituição, Marcos Vinícios Vilaça, e os acadêmico Cândido Mendes de Almeida e Eduardo Portela. Rebelo é defensor ardoroso da língua portuguesa e chegou a propor uma lei que proíbe os estrangeirismos no idioma brasileiro.

– Hoje, por causa da queda da auto-estima do brasileiro, não se diz mais, por exemplo, “começar uma reunião”. Se diz dar um start. A maioria da população não conhece o inglês. Além de dificultar a comunicação, o uso indiscriminado da língua inglesa constrange quem não a domina. O projeto procura coibir este tipo de abuso. Mas a idéia central não é proibir e sim melhorar o ensino da língua portuguesa. Olavo Bilac disse que uma Nação entra em decadência quando perde o amor pelo seu idioma. O projeto determina que os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, além das instituições de ensino e a Academia Brasileira de Letras, adotem medidas para elevar a qualidade da aprendizagem do português. Queremos ainda que o uso da língua seja obrigatório no próprio governo. O Banco do Brasil não poderia, por exemplo, fornecer um serviço chamado Personal Banking. Nem o IBGE poderia abrir uma página na internet, dirigida à juventude, batizada de IBGE Teen – disse o deputado, em recente entrevista.

Logo após o almoço, Aldo viaja para Bauru, no interior paulista, onde será homenageado com o título de Cidadão Bauruense, na Câmara Municipal da cidade.