Rebelde checheno diz ser autor de ação em Moscou

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 1 de novembro de 2002 as 23:46, por: cdb

Um dos principais comandantes rebeldes da Chechênia, Shamil Basayev, assumiu a autoria da invasão ao teatro de Moscou em que mais de 700 pessoas foram seqüestradas.

A tomada do prédio por tropas russas provocou a morte de cento e dezenove pessoas na semana passada, incluindo 50 guerrilheiros chechenos.

Num comunicado publicado por um site produzido pelos rebeldes chechenos, Basayev teria dito que o seqüestro foi comandado por ele.

A declaração afirma ainda que a ação pretendia pôr fim à guerra da Chechênia e ao que ele descreveu como “genocídio do povo checheno”.

Desculpas

O líder rebelde pediu desculpas ao último presidente eleito da Chechênia, Aslan Maskhadov, por não tê-lo informado sobre a ação.

A Rússia acusou Maskhadov de ter aprovado a tomada do teatro, o que ele negou.

Um assessor do presidente russo Vladimir Putin disse que Basayev estava tentando acobertar seu líder, Maskhadov.

Basayev organizou um ataque com reféns na cidade russa de Budyonnovsk, em 1995, e desde então encabeça a lista das pessoas mais procuradas no país.