Rapper Eminem estréia no cinema

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 6 de novembro de 2002 as 16:41, por: cdb

Eminem não é o primeiro artista a provocar ultraje público ou ser preso e tampouco será o primeiro a tentar polir sua imagem na telona a partir de sexta-feira, quando estréia nos Estados Unidos o filme “8 Mile”, protagonizado pelo controverso rapper.

E se a legião de fãs (os álbuns de Eminem já venderam 30 milhões de cópias no mundo todo) que o segue espera assistir à história triunfal de um garoto branco pobre de Detroit que faz sucesso no mundo do rap, existe o risco de haver uma decepção.

Os fãs talvez pensem que vão assistir a como o revoltado Marshall Mathers III (também conhecido pelo nome artístico Eminem e pelo alter ego Slim Shady) conquistou o planeta do hip hop, predominantemente negro, e acabou provocando a ira de políticos, mulheres e homossexuais com suas letras.

Talvez imaginem que o filme mostrará como Eminem criou álbuns de sucesso, foi preso por posse de armas, passou por um divórcio litigioso ao extremo e ganhou vários Grammys.

É quase isso. No cinema, Eminem vai protagonizar a saga do branquelo Jimmy “Rabbit” Smith Jr., que enfrenta o medo de fracassar no mundo quase inteiramente negro dos clubes de hip hop de Detroit. Seu personagem fala de questões raciais, de pobreza e sexo em seus raps e vai levando sua vida amorosa.

Em outras palavras, “8 Mile” é como a primeira cena do primeiro ato da história de Eminem na vida real. Nada mais.

“Marshall não estava interessado em fazer um filme sobre Eminem. Ele queria ser ator num bom filme”, disse o diretor Curtis Hanson.

A combinação de visão fictícia de um personagem cuja vida guarda semelhanças com a de Eminem e a ótima direção de Hanson parece estar funcionando, pelo menos de acordo com as primeiras críticas publicadas na imprensa norte-americana — todas bastante positivas.

No filme, Rabbit é expulso de um clube depois de ficar travado num desafio improvisado entre rappers. Ele engasga e não consegue pronunciar um verso sequer.

Mas seus problemas apenas começaram. Depois de lhe informar que está grávida, sua namorada o expulsa de seu apartamento e ele acaba voltando para o trailer onde vive sua mãe, a alcoólatra Stephanie (Kim Basinger).

Ele se dá mal com o namorado inútil de Stephanie e é obrigado a começar a cuidar da filhinha dela, Lily (na vida real, Mathers também tem uma filha de 6 anos, Hailie).

Rabbit encontra um novo amor na pessoa de Alex (Brittany Murphy), que tem os mesmos sonhos que ele: fugir do desespero e da pobreza que predominam em 8 Mile Road, onde vivem.

Só que ele descobre que os relacionamentos nunca são fáceis com amigos e namoradas.

Numa das cenas, Rabbit tem problemas na fábrica de autopeças onde trabalha e acaba por defender um colega gay que insultado por um outro funcionário. Aqui tem-se a impressão de que Eminem está tentando se defender das críticas que recebe de grupos defensores dos direitos dos homossexuais.

Porém, no final, o que “8 Mile” tem de melhor é a habitual capacidade de Hanson (de “Los Angeles — Cidade Proibida” e “Garotos Incríveis”) de capturar a vida urbana de Detroit e torneá-la com boas performances por parte do elenco.