Ralf admite limitações da Toyota

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 11 de janeiro de 2005 as 12:24, por: cdb

O alemão Ralf Schumacher sabe das limitações da Toyota. Por se tratar de uma equipe ainda muito jovem – a escuderia está há três anos na F-1, o alemão não espera obter sucesso a curto prazo e prefere pensar no futuro.

– Acredito que a curta história da Toyota na F-1 é típico da categoria: você nunca pode esperar sucesso imediato e temos muitos motivos para crer nisso. Obviamente vai demorar um pouco para a equipe chegar ao topo da categoria, mas os primeiros três anos se foram e todos lá aprenderam muito. Estou muito otimista para o futuro – disse Ralf em entrevista ao site F1-live.

Após ver a equipe trabalhando, Ralf se disse surpreso por ainda não ter visto a Toyota obter resultados melhores na F-1.

– A forma como a equipe trabalha é muito profissional e estou muito satisfeito por ter me transferido para cá. Posso dizer que fiquei muito surpreso pela Toyota não conseguir resultados melhores em 2004. Sei que a escuderia teve um pouco de falta de sorte, mas com certeza o pacote usado na última temporada era bem melhor que parece – completou o alemão. 

Mesmo com as críticas de algumas equipes e dirigentes da F-1 sobre as novras regras no uso de pneus e motores, Ralf afirmou que a categoria está indo na direção correta.

– Os pneus testados até agora são muito bons. Acho que será interessante correr apenas com um set de pneus, já que teremos menos pit-stops e menos quebras de tempo nas corridas. Para mim a F-1 está indo na direção certa quando pensa em limitar a velocidade dos carros. Se não fizesse isso, poderíamos ter nos próximos com anos carros de cinco segundos mais velozes que os atuais. Acho isso um pouco exagerado – disse..

Para 2005, a Toyota terá como pilotos titulares o alemão Ralf Schumacher e o italiano Jarno Trulli. O brasileiro Ricardo Zonta é um dos pilotos de teste. Na temporada 2004, a equipe marcou apenas nove pontos, terminando na oitava posição no Mundial de Construtores. Antes do fim do campeonato, a equipe demitiu o brasileiro Cristiano da Matta.