Quatro municípios do Rio Grande do Sul pedem que seja decretada situação de emergência devido às chuvas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 28 de março de 2011 as 17:15, por: cdb

Da Agência Brasil

Brasília – Com as fortes chuvas de granizo, os municípios gaúchos de Maximiliano de Almeida, Paim Filho, Alegrete e Não-Me-Toque, encaminharam à Defesa Civil do estado pedido para que seja decretada situação de emergência.

De acordo com o capitão Ari Ferreira, da Defesa Civil do Rio Grande do Sul, em Alegrete, as chuvas de granizo fizeram com que 65 famílias tivessem suas casas destelhadas. “É uma época bastante complicada, porque há prejuízos na agricultura, educação, saúde”, disse.

Ferreira informou que, em Maximiliano de Almeida, 120 famílias foram atingidas e, em Não-Me-Toque, 3.750 pessoas tiveram prejuízos em seus lares. Já em Paim Filho, 2.450 foi o número de pessoas afetadas pelas enxurradas.

Segundo o prefeito do município de Maximiliano de Almeida, Avilson Lazarri, o temporal provocou estragos em casas e lavouras. Cerca de 200 quilômetros de estrada foram danificados na zona rural.

“É inexplicável [o quanto] os prejuízos que as chuvas estão trazendo. Teve uma propriedade rural que teve sua plantação de soja bastante destruída, fora os 10 hectares de feijão”, relata Lazarri.

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) prevê para amanhã (29) céu parcialmente nublado com pancadas de chuva no Norte e Nordeste do estado. Nas demais regiões, o céu estará parcialmente nublado. A temperatura estará em ligeiro declínio, com a máxima prevista em 27 graus Celsius (ºC) e a mínima, 8ºC. Os ventos estarão soprando na direção de Sul para Leste e sua intensidade estará de fraca a moderada.

Edição: Lana Cristina// O título foi alterado
 

Nacionalchuvasdefesa civilestrada ruralgranizolavouramunicípios gaúchosprejuízosrio grande do sulventos