Quadrilha de falsificação de leite em pó atua no Nordeste

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 27 de março de 2003 as 14:59, por: cdb

O delegado do Ministério da Agricultura, Manoel Montenegro, acredita que o Nordeste está sendo alvo de uma quadrilha especializada na falsificação e adulteração de leite em pó. Segundo ele, uma “máfia está recompondo marcas que eram fabricadas antigamente”. São falsificados selos com as mesmas marcas de antigamente e fabricados ou importados leite em pó ilegalmente.

A descoberta desta quadrilha aconteceu depois da apreensão de três toneladas de leite em pó falsificadas no Rio Grande do Norte, anunciada ontem. A grande parte do leite chegou ao Estado através da distribuidora paraibana “Casa Nova”, que ganhou licitação para abastecer creches municipais. Uma das marcas vendidas pela distribuidora era o Nutrilat, que desde 1997 teve a inscrição no Ministério da Agricultura cancelada. Também foi encontrado leite da marca Itambé e Amor, e os exames de laboratório mostraram que a composição protéica estava adulterada.

Na manhã desta quinta-feira, denúncias de moradores da comunidade do bairro de Afogados, no Recife, levaram a Polícia Civil de Pernambuco, numa ação conjunta com agentes do Ministério da Agricultura, a descobrir mais um depósito clandestino de leite em pó na capital pernambucana.

No local, foram encontradas embalagens do produto da marca Itambé, que serviriam para acondicionar o leite da marca Sertanejo, que teve o registro cassado pelo Ministério. Foi encontrada uma carga de leite Sertanejo, além de notas fiscais falsas.

Há informações de que o local foi abandonado há mais ou menos duas semanas, época em que outro depósito clandestino de leite em pó foi encontrado em outro bairro. A polícia acredita na ligação entre os dois casos. Ninguém foi preso, pois o local estava abandonado.