PT pode expulsar deputado e senadora reage à decisão

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 23 de junho de 2003 as 15:54, por: cdb

A senadora Heloísa Helena (PT-AL) classificou de “absurda” a decisão da Executiva Nacional do partido de levar o caso do deputado federal João Fontes (SE) para o Diretório Nacional, sem passar pela Comissão de Ética. Para ela, entretanto, isso não vai intimidar os chamados radicais petistas.

Fontes divulgou um vídeo, em maio, com imagens do presidente Luiz Inácio Lula da Silva atacando mudanças na Previdência que hoje defende e criticando o então presidente José Sarney (PMDB-AP), atual aliado do governo. O Diretório Nacional vai decidir em setembro qual punição aplicar a ele.

Heloísa, que é alvo de um processo na Comissão de Ética, afirmou que essa decisão foi “absurda e truculenta”. Ela diz que o deputado não teve direito de apresentar recurso à Executiva, embora membros da cúpula petista afirmem que ele tenha sido informado do prazo.

– Não teve nada disso. Ele foi comunicado de que não deveria vir [à reunião da Executiva]. Não vamos usar esse penduricalho de tempo para negar o direito [a Fontes] – afirmou.

A senadora afirma que vai continuar com as críticas que julgar pertinentes. “A realidade objetiva já mostrou que a arrogância e a truculência nada constroem, pelo contrário”, disse. Para ela, “ninguém ficará paralisado em função da decisão da Executiva”.

No próximo dia 12 de julho, o Diretório Nacional do partido se reúne para fechar uma resolução em torno da proposta de reforma da Previdência. Quem não seguir a resolução e não votar com o partido será punido.

Embora diga que a reforma ainda possa sofrer mudanças, com emendas dos parlamentares, Heloísa já deixou claro que, com o atual conteúdo, não vota a favor da reforma previdenciária.

– Essa reforma, do jeito que está, eu não voto nem no pau-de-arara. Não posso patrocinar vigarice política. Mas ninguém sabe o que vai ser votado ainda.