PT e oposição têm duelo marcado na CPMI

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 3 de abril de 2006 as 13:27, por: cdb

A votação do relatório final da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Correios, marcada para esta terça-feira, tem tudo para ser tumultuada. A sessão deverá ser marcada por muito debate. Parlamentares do PT não aceitam alguns pedidos de indiciamento, entre eles o do ex-ministro da Secretaria de Comunicação Luiz Gushiken. Deputados e senadores petistas também querem retirar a palavra “mensalão” do documento. O partido reconhece que houve repasse ilegal de dinheiro, mas não em forma de compra de votos para obtenção de apoio para o governo.

– Esta questão de compra para votar, isso não tem provas nos documentos. Então, vamos mexer nisso – disse a senadora Ideli Salvati (PT-SC).

Na primeira parte da reunião desta terça-feira, cada parlamentar tem 15 minutos para apresentar o ponto de vista sobre o relatório. Se todos os 31 integrantes da comissão usarem o prazo estabelecido para a discussão, só a primeira fase da reunião levará quase oito horas. Encerrada essa fase, será feita a votação, ressalvando-se os votos em separado que deverão ser apresentados por parlamentares da base do governo e da oposição. O voto em separado é um instrumento regimental que permite a alteração parcial ou total do texto. Nesse último caso, deverá ser apresentado na forma de substitutivo ao relatório original.