PT admite relação difícil entre governo e movimentos sociais

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 10 de fevereiro de 2005 as 19:06, por: cdb

No aniversário de 25 anos do PT, o presidente nacional da legenda, José Genoino, lembrou que o partido tem sua origem na organização popular e que deve se apoiar nos movimentos sociais e no Estado, mas reconheceu que nem sempre no governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva esse equilíbrio acontece.

“Às vezes a gente tem que equilibrar. Às vezes, uma (das duas bases) fica mais forte que a outra e nós vamos buscando o equilíbrio”, disse Genoino durante entrevista coletiva na sede do PT em São Paulo.

“É um problema novo de um partido, que chega ao governo, a relação com os movimentos sociais”, acrescentou ele, dizendo que uma das tarefas do partido em 2005 é discutir sua relação com esses movimentos.

O governo Lula vem recebendo críticas de grupos da militância da área social, muitos dos quais sempre mantiveram no PT sua principal referência política. O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), por exemplo, não poupa o governo de críticas.

Mas Genoino tentou amenizar as diferenças. “Nós somos filhos dos movimentos sociais, jamais vamos dar as costas para os movimentos sociais. Podemos ter divergências, mas jamais vamos dar as costas.”

Segundo o presidente do partido, os objetivos gerais entre o partido e os movimentos são os mesmos. A questão é que “taticamente podemos ser diferentes”, disse.

Já o deputado federal Ivan Velente (SP) –um dos principais porta-vozes da esquerda petista– tem uma visão distinta.

“O PT ainda não tomou uma decisão se ele se afasta dos movimentos sociais e populares de uma vez, ou se repactua de verdade com os movimentos. Ele não pode repactuar com o movimento popular, com o MST, sem fazer a reforma agrária”, disse Valente. “Não retomará os contatos com os educadores brasileiros que defendem a educação pública se ele não investir pesadamente na educação.”

Entre os debates que PT promoverá este ano como parte das comemorações de seus 25 anos, está uma conferência nacional, em São Paulo no mês de maio, cujo tema será O PT e os Movimentos Sociais.