PSDB pede afastamento de Cunha

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 11 de novembro de 2015 as 14:47, por: cdb

Por Redação, com Agências de Notícias – de Brasília:

A bancada do PSDB, através de uma nota oficial divulgada nesta quarta-feira, reiterou o pedido de afastamento do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) do cargo de presidente da Câmara dos Deputados. No comunicado, o partido disse Cunha não convenceu em suas explicações sobre ser beneficiário de contas secretas na Suíça.

Cunha
A nota diz que “a bancada do PSDB na Câmara considera insuficientes as explicações apresentadas por Cunha

– Ele não se explicou, não convenceu a bancada do PSDB nem o país, fez alegações soltas, sem o necessário respaldo e provas – disse em coletiva de imprensa o líder Carlos Sampaio (PSDB-SP).

A nota diz que “a bancada do PSDB na Câmara considera insuficientes as explicações apresentadas pelo presdiente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), em entrevistas no último final de semana, diante da contundência das denúncias e documentos já conhecidos sobre a existência de contas em seu nome e de familiares no exterior”.

Confira a nota na íntegra:

A bancada do PSDB na Câmara considera insuficientes as explicações apresentadas pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), em entrevistas no último final de semana, diante da contundência das denúncias e documentos já conhecidos sobre a existência de contas em seu nome e de familiares no exterior.

A bancada entende que, em qualquer hipótese definida pelo Conselho de Ética, a decisão final é do plenário da Câmara.
A bancada reafirma que seu representantes no Conselho de Ética têm o absoluto respeito de seus pares, bem como votarão de acordo com o rigor técnico exigido de um magistrado.

Reitera, de forma ainda mais veemente, posição firmada em nota emitida em outubro, logo depois do surgimento de documentos contra Cunha, oportunidade em que defendeu o seu afastamento da Presidência da Câmara face à gravidade das acusações.

Por fim, registra que, em nenhuma hipótese, a bancada do PSDB irá transigir com a ética exigida dos membros desta Casa, ainda que defenda uma causa nobre, como é o impeachment da presidente Dilma Rousseff.