Proposta autoriza vínculo empregatício para arrumadores de portos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 6 de setembro de 2011 as 09:26, por: cdb

Brizza CavalcanteSegundo Arnaldo Jordy, a categoria corre sério risco de deixar de existir.

A Câmara analisa proposta que autoriza a contratação dos arrumadores de navio para trabalhar em atividades portuárias com vínculo empregatício a prazo indeterminado. Atualmente, os arrumadores são trabalhadores portuários avulsos que prestam serviços sem vínculo empregatício e executam a movimentação de mercadorias dentro da área do porto.

A medida está prevista no Projeto de Lei 1137/11, do deputado Arnaldo Jordy (PPS –PA). De acordo com o projeto, os arrumadores poderão ser contratados com vínculo empregatício para exercer atividades de estiva, conferência de carga, conserto de carga e vigilância de embarcações.

Atualmente, a Lei dos Portos (8.630/93) não cita essa categoria entre as que podem ser contratadas.

Outra proposta com o mesmo objetivo (PL 2626/07) já havia sido apresentada pelo então deputado Zenaldo Coutinho (PSDB-PA). O texto, contudo, foi arquivado no início desta legislatura.

Risco de extinção
Arnaldo Jordy afirma que os arrumadores representam uma das categorias mais antigas em atividade nos portos brasileiros e que são responsáveis por quase toda atividade de capatazia (movimentação de cargas do navio na faixa do cais) nesses locais. “O risco de extinção iminente da categoria torna imperiosa a aprovação da presente iniciativa legislativa”, alertou.

Tramitação
A proposta, que tramita em caráter conclusivo, será analisada pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da proposta:PL-1137/2011Reportagem – Carolina Pompeu
Edição – Juliano Pires