Programas sociais unificados vão gerar economia de R$ 450 milhões

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 30 de setembro de 2003 as 16:10, por: cdb

A unificação dos programas sociais, proposta pelo governo, vai gerar uma economia de R$ 450 milhões, quantia que o governo federal gastava nas diferentes operações de pagamentos feitos pela Caixa Econômica Federal. A informação foi divulgada há pouco por meio de uma nota da Assessoria de Imprensa da Presidência da República sobre a reunião realiza nesta terça-feira na residência oficial da Granja do Torto, entre o presidente Lula e os governadores.

A pedido do presidente Lula, o líder do governo no Senado Aloizio Mercadante abriu a reunião falando sobre o andamento das discussões da Reforma da Previdência no Senado. Segundo Mercadante,os governadores solicitaram que o texto aprovado na Câmara seja mantido sem alterações no Senado.

Em seguida, os governadores ouviram uma exposição sobre a proposta de unificação dos Programas Sociais feita pelos assessores especiais da Presidência, Ricardo Henriques e Ana Fonseca. Os assessores explicaram como será desenvolvido o Programa de Transferência de Renda, que levará à criação do Bolsa Família. O objetivo do presidente Lula é integrar este programa com aqueles desenvolvidos por estados e municípios.

Na tarde desta terça-feira, o presidente e os governadores discutem os pontos polêmicos da reforma tributária para tentar chegar a um consenso antes do início das votações no Senado.

A reunião teve início às 10h40 e conta com a presença de 26 governadores e do vice do Rio Grande do Sul, Antônio Carlos Hohlfeldt. Também participam do encontro o vice-presidente, José Alencar, os ministros da Casa Civil, José Dirceu, da Fazenda, Antônio Palocci, do Planejamento, Guido Mantega, e da Secretaria Geral, Luiz Dulce, o líder do governo no Senado, Aloizio Mercadante, o líder do governo no Congresso, Amir Lando e o líder do governo na Câmara, Aldo Rebelo. Mercadante e Amir Lando deixaram a reunião por volta das 11h e seguiram para o Senado.