Programa API Conviver realiza atividades para 2.400 idosos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 26 de janeiro de 2012 as 15:13, por: cdb

Data de publicação: 26/01/2012 10:39

O Programa de Atenção a Pessoa Idosa (Api Conviver), desenvolvido pela Secretaria Municipal de Trabalho e Assistência Social (Semtas) é direcionado a convivência que já está atendendo 2.407 idosos de Natal. O Api Conviver dá suporte a 60 grupos ativos de idosos distribuídos nas quatro regiões administrativas da cidade, cinco abrigos e dois centros de convivência. O objetivo do Programa é dar apoio aos idosos junto a família, vinculado com a rede de proteção do município.

“Realizamos atividades de convivência em grupos que proporcionam melhor qualidade de vida aos usuários ligados ao programa. E é com grande orgulho que chegamos a esse alto número de beneficiados”, comemora o titular da Semtas, Alcedo Borges.

Ao se aposentar, o idoso geralmente se entrega à ociosidade. Então, o Api Conviver atua no sentido de desenvolver os valores e atitudes das pessoas e provê-las com o conhecimento e aptidões que lhes permitirão sentirem-se mais seguras e obter mais prazer e satisfação na vida. “O nosso trabalho é voltado para garantir a qualidade de vida dos usuários”, explica o titular da Semtas, Alcedo Borges.

O Api Conviver conta com uma equipe de 23 profissionais composta por assistentes sociais, pedagogos, arte educadores, instrutores de dança, de música e de artesanato, técnico em nutrição, educador físico e psicólogos. Todo mês a equipe se reúne para definir o cronograma de atividades, que rende bons momentos de descontração para os idosos assistidos, como oficina de danças folclóricas, artesanato, dinâmicas de arte-educação, alongamento, palestra de serviço social, oficinas de teatro, dentre outras.

O idoso interessado em fazer parte das atividades do Programa pode ligar para a coordenação do Api Conviver (3232-4752) para saber qual grupo fica mais perto de sua casa. “Vale lembrar que as atividades são gratuitas, realizadas uma vez por semana, e abertas para todos os idosos (a partir de 60 anos) da cidade, independente de renda ou classe social”, ressalta o secretário.