Produção mostra volta de Rabelo ao Chile, 32 anos após ditadura

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 15 de novembro de 2005 as 10:53, por: cdb
Atualizado em 13/11/16 15:10

O jornalista José Maria Rabelo é tema de um documentário, realizado por seu filho Ricardo Rabelo, também jornalista e editor do jornal Bafafá, ao retornar ao Chile, após de 32 anos. José Maria e Thereza, sua mulher e mãe dos sete filhos do casal, iniciaram nesta terça-feira o reencontro com fraternos amigos, deixados após a queda do governo Allende. A viagem de uma semana será registrada por uma equipe de filmagem.

José Maria Rabelo é fundador do jornal Binômio, de Belo Horizonte, fechado após o golpe de Estado, em 1964. Ele e a família chegaram à Bolívia, mas outro golpe naquele país os fez rumar para o Chile, onde continuou na área editorial até que a morte de Salvador Allende os fez seguir para a França. Sua militância pela causa comunista, no entanto, inseriu seu nome entre os ativistas mais procurados na América Latina.

– Os golpes de Estado me perseguem. Por causa deles fui fincando raízes pelo mundo junto com meu marido e sete filhos. Passamos pelos golpes no Brasil, na Bolívia e no Chile. Vivemos 16 anos no exílio. Em cada mudança a gente deixava tudo para trás. Vestíamos roupas doadas em refúgios de exilados e tínhamos que refazer a vida num mundo desconhecido, com outra cultura. Se alguma coisa aprendemos no exílio foi aproveitar o que a vida oferece de bom e deixar o resto pelo caminho. Mas é claro que, esquecer o que aconteceu, a gente nunca esquece – disse Thereza, em entrevista à revista Marie Clair, reproduzida no Bafafá.