Proddi garante mandato com 1% a mais de votos na Câmara

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 11 de abril de 2006 as 13:13, por: cdb

Resultados oficiais das eleições gerais na Itália indicam que a coalizão de centro-esquerda, de oposição, liderada pelo ex-primeiro-ministro Romano Prodi, obteve uma vitória por pequena margem de votos na Câmara dos Deputados do Parlamento da Itália. A centro-esquerda obteve 49,8% dos votos, contra 49,7% da coalizão de centro-direita, de acordo com dados do Ministério do Interior.

Prodi disse a correligionários reunidos junto à sede da coalizão União, no centro de Roma, que “a vitória chegou”. Mas a declaração foi contestada pelo bloco liderado pelo primeiro-ministro, Silvio Berlusconi. Seu porta-voz, Paolo Bonaiuti, disse que a coalizão de centro-direita vai exigir uma verificação minuciosa das cédulas eleitorais. De acordo com nova legislação eleitoral na Itália, a coalizão vitoriosa vai receber, automaticamente, 55% dos assentos na Câmara dos Deputados.

Senado

No Senado, o grupo de Berlusconi tem uma cadeira a mais, mas ainda não foi concluída apuração dos votos para os ocupantes das seis cadeiras escolhidos por eleitores que moram no exterior – inclusive no Brasil. A oposição, no entanto, acredita que vai ficar com quatro dessas cadeiras, obtendo, assim, uma maioria absoluta na casa. Segundo correspondentes, como a diferença de votos entre os dois blocos é muito pequena, pode ser exigida uma recontagem.

As duas câmaras do Parlamento têm poder igual sob o sistema eleitoral na Itália. Um bloco precisa sair vitorioso em ambas para impedir que o país seja paralisado por um impasse parlamentar.

Campanha

Prodi disse aos correligionários nesta madrugada no centro de Roma:

– Hoje, nós viramos uma página… Nós vamos governar por cinco anos.

Berlusconi, um empresário bilionário, vem governando o país desde 2001. Ele liderou o mais longo governo no país desde a Segunda Guerra Mundial, mas a economia teve um desempenho fraco por boa parte de sua administração. A formação de um novo governo terá que esperar até depois da eleição de um novo presidente do país no mês que vem. O mandato de sete anos do presidente Carlo Azeglio Ciampi está chegando ao fim.

A campanha eleitoral foi marcada por insultos. Berlusconi referiu-se aos eleitores da esquerda com palavras de baixo calão e Prodi comparou-o a um bêbado. Prodi, um ex-primeiro-ministro do país e ex-presidente da Comissão Européia, estava à frente por pequena margem nas pequisas de opinião, até que foram suspensas, conforme a lei, dez anos antes da votação.

Seu estilo discreto é um grande contraste em relação à exuberância de Berlusconi. O atual primeiro-ministro italiano vem enfrentando acusações judiciais por corrupção e conflito de interesses por causa de seu império de mídia.