Procon: Bancos não repassam queda de juros para os clientes

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 11 de abril de 2006 as 12:39, por: cdb

Segundo dados divulgados nesta terça-feira pelo Procon-SP, os juros cobrados pelos bancos permaneceram praticamente estáveis desde setembro do ano passado, quando o Banco Central iniciou um lento processo de redução da taxa básica de juros da economia brasileira (Selic). O Procon adiantou, ainda, que a taxa média cobrada pelos bancos para empréstimos pessoais em abril era de 5,37% ao mês, contra 5,38% no mês anterior. Em setembro do ano passado, os juros para essa modalidade de crédito eram de 5,46%. O Banco Central reduziu muito mais do que isso na taxa básica de juros, que caiu de 19,75% para 16,5% ao ano, no período.

Quanto ao cheque especial, os bancos também não repassaram a queda da Selic. A taxa dessa modalidade recuou de 8,32% em setembro do ano passado para 8,21% ao mês em abril. Em relação a março, não houve queda. “As reduções da taxa Selic continuam não sendo repassadas proporcionalmente para as taxas de operações de crédito”, afirma o Procon em nota.

Técnicos do Procon-SP orientam ao consumidor a verificar se é realmente necessária a contratação de crédito nos bancos, uma vez que as taxas cobradas “muitas vezes” inviabilizam o pagamento do empréstimo. A pesquisa da Fundação Procon-SP foi realizada no dia 3 de abril com os bancos HSBC, Banespa, Bradesco, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Itaú, Santander, Nossa Caixa, Real e Unibanco.