Primeiro mapa da América é comprado por US$ 9,5 milhões

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 4 de setembro de 2001 as 17:18, por: cdb

A única cópia conhecida do primeiro mapa que denominou o “novo continente” de América foi adquirida pela Biblioteca do Congresso.

Onde o famoso mapa de 1507 vai ficar em definitivo é uma questão de dinheiro. A biblioteca deu uma entrada de US$ 500 mil e tem dois anos para pagar os US$ 9,5 milhões restantes. Funcionários da biblioteca disseram, na semana passada, que procuravam doações privadas e que pediriam ao Congresso que bancasse o restante.

O mapa Waldseemueller, como é chamado, incorpora as descobertas de Cristóvão Colombo, na América Central, John Cabot, na América do Norte e Américo Vespúcio, na América do Sul.

O mais importante no mapa, no entanto, é a palavra escrita sobre o Brasil: América. Os cartógrafos, ignorando inexplicavelmente Colombo, decidiram que o nome do novo continente deveria homenagear Vespúcio, navegador italiano que serviu Portugal e Espanha após as primeiras viagens de Colombo.

O mapa mede 2m43 de largura por 1m37 de comprimento e foi o primeiro a mostrar a América como uma massa de terra totalmente separada da Ásia.

O norte do continente é representado por uma pequena faixa de terra, mas o sul guarda muito de suas formas reais.

Em outra inovação trazida pelo mapa, um grande oceano separa o “novo mundo” da Ásia – a primeira representação do Oceano Pacífico.

A maioria dos estudiosos na época não acreditava que o mundo comportasse um oceano tão grande.

John R. Hebert, chefe da divisão de geografia e mapas da biblioteca, disse que o mapa Waldseemueller está em ótimas condições e deve ser exposto em Washington durante o outono.

Em um acordo aprovado pelo governo alemão, a biblioteca comprou o mapa do príncipe Johannes Waldburg-Wolfegg, cujo castelo da família em Baden-Wuerttemberg foi a casa do mapa por mais de 350 anos. O mapa original pertenceu ao astrônomo e geógrafo Johann Schoener. Dado como perdido, a única cópia conhecida do mapa foi descoberta no castelo em 1901.

O mapa foi feito por um grupo de estudiosos e clérigos na cidade de St.-Die, na Lorena. O homem que mais contribuiu na elaboração do mapa foi Martin Waldseemueller, desenhista e cartógrafo alemão.