Previdência Social “de porta em porta”

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 7 de outubro de 2003 as 18:48, por: cdb

O governo federal quer incluir na Previdência Social, em curto prazo, cerca de dois milhões de pessoas revendedoras, “de porta em porta”, de produtos de grandes empresas, os chamados representantes, por exemplo, da Natura e Avon. Segundo o secretário-executivo do Ministério da Previdência Social, Álvaro Sólon França, essas pessoas têm o direito de fazer parte do sistema previdenciário, pois são trabalhadoras.

Para incluí-las no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), será preciso definir a forma como vão se associar: como contribuintes individuais ou empregados da firma para a qual trabalham. “Essas pessoas fazem parte das 40 milhões que queremos incluir, em breve, no sistema previdenciário”, afirmou Álvaro, depois de participar de audiência com o presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Francisco Fausto. Ele acrescentou que se o governo não tomar medidas eficazes, o mercado de trabalho informal não vai parar de crescer, e os trabalhadores vítimas da informalidade vão, um dia, sentir falta da Previdência Social, quando já não tiverem mais condições de trabalhar.