Presidentes de Flamengo e CBF trocam farpas por taça de 1987

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 24 de dezembro de 2010 as 09:40, por: cdb
Patrícia Amorim, presidente do Flamengo, está inconformada.
Patrícia Amorim, presidente do Flamengo, está inconformada.

A polêmica sobre o campeão do Campeonato Brasileiro de 1987 ainda causa discussão e troca de acusações em declarações acaloradas de dirigentes da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e do Flamengo. Nesta quinta-feira, Ricardo Teixeira e Patrícia Amorim realizaram ataques verbais por causa do assunto.

O novo capítulo da polêmica se iniciou na quarta-feira, com a decisão da CBF de considerar os títulos da Taça Brasil e do Torneio Roberto Gomes Pedrosa, o Robertão, como conquistas do Campeonato Brasileiro. O Flamengo ainda reclama da entidade por não reconhecer o título da Copa União de 1987 como uma conquista do Campeonato Brasileiro. A CBF aponta o Sport como campeão daquele ano.
Nesta quinta-feira, Ricardo Teixeira declarou que a presidente Patrícia Amorim protestou sobre o assunto como uma forma de encobrir a temporada ruim do Flamengo, que não conquistou títulos em 2010 e lutou contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro. “Ridículo justificar incompetência administrativa com isso”, afirmou. “Que fale menos e faça mais, porque esse ano em termos de resultados foi fraco demais”, completou.

Mais discussões
Patrícia Amorim rebateu e ironizou, lembrando que a seleção brasileira fracassou na Copa do Mundo da África do Sul. “Realmente o ano não foi dos melhores para o Flamengo, assim como não foi para a Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Além disso, a CBF já teve outras temporadas bem piores (1990, 1998 e 2006), mas nada como um ano após o outro”, disse.

A presidente reiterou ainda que irá às últimas instâncias para que o Flamengo seja reconhecido como campeão brasileiro de 1987. “A respeito do Campeonato Brasileiro de 1987, o Flamengo não medirá esforços para obter o reconhecimento do título conquistado dentro do campo, não nos bastidores do futebol brasileiro”, comentou.