PRESIDENTES DA AM. CENTRAL DEFENDEM DEBATE SOBRE DESCRIMINALIZAÇÃO DAS DROGAS

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 25 de março de 2012 as 12:59, por: cdb

CIDADE DA GUATEMALA, 25 MAR (ANSA) – Os presidentes da Costa Rica, Laura Chinchilla, do Panamá, Ricardo Martinelli, e da Guatemala, Otto Pérez Molina, assinalaram que é preciso debater a descriminalização das drogas como estratégia para combater o crime organizado.
   
Os mandatários participaram ontem do encerramento da Cúpula de Antígua, na capital da Guatemala.
   
O chefe de Estado guatemalteco pediu a seus colegas da região centro-americana que discutam a descriminalização das drogas longe dos mitos e tabus que envolvem o tema, afirmando que “é só uma proposta”.
   
Pérez Molina, um militar reformado, argumentou que “a estratégia que se seguiu na luta contra o narcotráfico nos últimos 40 anos fracassou, pelo qual temos que buscar novas alternativas para fazer frente a esta situação”.
   
Chichilla, por sua vez, afirmou que a proposta está carregada de “originalidade e atrevimento” e defendeu que a América Central deve homologar os instrumentos para a luta contra o crime organizado em uma iniciativa a ser levada ao Conselho de Segurança (CS) da Organização das Nações Unidas (ONU).
   
Já Martinelli atestou que não sabe se o Panamá está pronto para descriminalizar as drogas, mas reconheceu que a proposta “merece um tratamento especial para que seja discutida e analisada, já que levará muito debate”.
   
O presidente da Guatemala indicou que espera uma reunião multilateral com seus colegas da região em Honduras como continuação desse encontro para levar uma posição conjunta à Cúpula das Américas que ocorrerá em abril em Cartagena, na Colômbia. (ANSA)