Presidente português se reúne com imigrantes pobres no Dia da Mulher

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 8 de março de 2003 as 14:01, por: cdb

O presidente português, Jorge Sampaio, escolheu este sábado, um bairro de imigrantes pobres da cidade portuária de Sines, a pouco mais de cem quilômetros do sul de Lisboa, para comemorar o Dia Internacional da Mulher junto com várias mulheres oriundas de outros países.

A presidente de uma associação cabo-verdiana, Alcestina Tolentino, deu as boas-vindas a Sampaio no Bairro Amilcar Cabral de Sines, o qual o chefe de estado português percorreu em companhia de muitos de seus humildes moradores.

O presidente português expressou seu desejo de “incentivar a participação das mulheres imigrantes na vida econômica e política lusa e promover seu papel na construção de uma sociedade mais justa, baseada na igualdade de oportunidades entre os sexos”.

Sampaio visitará ainda hoje um bairro de Lisboa onde os imigrantes são predominantemente brasileiros e depois irá condecorar no Palácio de Belém 14 mulheres, entre juristas, cientistas, professoras e figuras da cultura.

Entre elas uma jornalista cabo-verdiana, María Celina da Silva Pereira, responsável por diversas iniciativas de apoio às povoações imigrantes em Portugal.

O primeiro-ministro português, José Manuel Durão Barroso, convidou no Dia da Mulher para um almoço no Quartel do Carmo, de Lisboa, 54 representantes femininas das forças de segurança e defesa lusitanas e das comissões para a igualdade de direitos da mulher e de igualdade no trabalho e no emprego.

Durão Barroso aproveitará o dia para apresentar o segundo plano português contra a violência doméstica.

Além disso, em comemoração ao dia será inaugurado hoje um canal temático na televisão a cabo destinado a mulheres, chamado “SIC Mulher”, cujos responsáveis afirmam “não é feminista, nem erótico, nem polêmico”.

Uma mulher e antiga apresentadora, Sofia Carvalho, é a responsável pelo novo canal que abordará temas de orientação feminina sobre saúde, cozinha, ginástica, animais, astrologia, dieta, jardinagem e tudo o que é considerado de interesse para as mulheres, que calcula-se que constituem 54 por cento da audiência televisiva.

A central sindical comunista Confederação Geral de Trabalhadores Portugueses (CGTP) inicia no Dia da Mulher uma quinzena de luta em prol da igualdade e contra a violência de gênero.

Precisamente, a difusão na praça Camões de Lisboa de um manifesto sob o lema “Não à violência doméstica” será um dos pontos culminantes dos múltiplos atos convocados em Portugal por causa do Dia da Mulher.