Presidente nega existência de conflitos entre Fazenda e BC

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 28 de abril de 2006 as 12:22, por: cdb

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva negou nesta sexta-feira que exista qualquer disputa entre o ministro da Fazenda, Guido Mantega, e o Banco Central na condução da política econômica.

– Não tem disputa entre Guido Mantega e Banco Central… Se alguém tem divergência com alguém, essa divergência será dirimida pelo presidente da República. Nem o Banco Central está lá para divergir do Guido, nem o Guido está lá para divergir do Banco Central – disse Lula a jornalistas, durante visita a São Paulo.

O presidente afirmou ainda que “a taxa de juros vai continuar caindo”.

– A economia está sólida, o país está crescendo e o salário está aumentando, é isso que interessa ao povo brasileiro – acrescentou o presidente.

Na véspera, a ata da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) indicou que as próximas decisões sobre a Selic serão parcimoniosas, o que fez com que analistas considerassem a possibilidade de cortes mais modestos daqui para frente. As três últimas reduções foram de 0,75 ponto percentual, colocando o juro básico em 15,75% ao ano.

Lula avaliou que baixar o juro não é uma posição do governo, mas se trata da posição da sociedade brasileira.

– Nós conquistamos as condições para reduzir as taxas de juros e elas estão acontecendo, estamos com um olho na inflação e outro na taxa de juros.

Administração dos preços

O presidente reconheceu, entretanto, a responsabilidade do governo para abrir espaço para que o juro caia.

– O governo tem que gastar corretamente, precisa ver quais são os setores que estão exagerando no preço. Se nos anos passados os preços administrados foram responsáveis pelas altas de inflação, agora não são mais – disse.

O Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M), uma das principais referências para reajustes, apontou em abril a segunda deflação consecutiva, ao registrar queda de 0,42%.