Presidente da Suprema Corte do Equador pede demissão

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 14 de janeiro de 2005 as 03:30, por: cdb

O presidente da Suprema Corte do Equador, Ramón Rodríguez, se demitiu na quinta-feira em meio a crescentes críticas sobre o mecanismo legal usado para a sua designação e a de outros 30 magistrados da mais alta esfera da Justiça no país.

“Apresento a vocês minha renúncia irrevogável ao cargo de presidente da Suprema Corte de Justiça (CSJ)”, disse Rodríguez em sua carta de demissão, na qual argumenta para sua saída divergências políticas com seus colegas acerca da definição dos membros de uma entidade que maneja os fundos e supervisiona as cortes do país.

A cúpula da CSJ, que era liderada por Rodríguez, foi designada através de uma polêmica resolução em dezembro, aprovada por uma maioria parlamentar da base do presidente do Equador, Lucio Gutiérrez.

A decisão do parlamento de colocar ao lado da CSJ magistrados próximos dos partidários de Gutiérrez desatou uma briga constitucional e política, mas o mandatário tem insistido que a medida era indispensável para cortar a influência que tinha os opositores nos tribunais.