Presidente da Anac defende mais vôos para o aeroporto Tom Jobin no RJ

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 9 de março de 2007 as 21:25, por: cdb

O presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Milton Zuanazzi, defendeu nesta sexta-feira o Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro Tom Jobim como uma solução, a curto prazo, para a crescente demanda de vôos nacionais e internacionais no país.

– São Paulo chegou ao seu limite, não há como aumentar as operações em seus aeroportos no momento. Não seria uma questão de transferir vôos para o Rio, mas sim de suprir essa demanda -, afirmou.

De acordo com Zuanazzi, o aeroporto internacional do Rio teria condições de se tornar um segundo ponto de conexão junto com São Paulo.

– A migração poderia começar imediatamente para o Tom Jobim. Um país de dimensões continentais como o Brasil precisa ter mais de um hub (ponto de conexão). Nos Estados Unidos, por exemplo, existem seis ou sete grandes hubs -, argumentou Zuanazzi.

Segundo o presidente da Anac, o aeroporto internacional do Rio tem capacidade instalada para 15 milhões de passageiros por ano, mas atualmente recebe apenas 10 milhões. Já o Aeroporto Internacional de Guarulhos (SP) tem capacidade para 20 milhões e recebe 16 milhões. E o de Congonhas, também em São Paulo, já ultrapassou o seu limite de 12 milhões de passageiros, chegando a 18 milhões.

Zuanazzi participou de uma reunião com o governador do Rio de Janeiro. Ségio Cabral pediu para aumentar a freqüência de vôos nacionais e internacionais no aeroporto Tom Jobim.