Presidente chileno nega que tenha prometido apoio ao governo americano

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 14 de março de 2003 as 08:33, por: cdb

Apontado como um dos chamados “U 6” – os seis indecisos no Conselho de Segurança das Nações Unidas -, o Chile negou, nesta quinta-feira, que já tenha prometido apoio aos Estados Unidos para aprovar a resolução que abriria caminho para uma guerra contra o Iraque.

“Não, isso não é verdade”, declarou o presidente chileno, Ricardo Lagos, rebatendo notícias veiculadas na imprensa de que o país já teria fechado seu apoio aos planos dos Estados Unidos.

As mesmas versões indicavam que o presidente norte-americano, George W. Bush, também já tinha como certo o respaldo do México.

Por outro lado, Lagos confirmou ter conversado novamente com Bush, por telefone, na terça-feira à noite.

Lagos disse que apenas trocou idéias com Bush e que, antes, já havia falado com o primeiro-ministro britânico, Tony Blair.

Em mais um revés para Washington, a Guiné – outro membro rotativo do Conselho de Segurança considerado indeciso em relação ao Iraque – anunciou, na rádio estatal do país, que poderá se abster na votação.
Até agora, os Estados Unidos contam com o apoio declarado apenas de três membros do Conselho: Grã-Bretanha, Espanha e Bulgária.

Assim como Chile, México e Guiné, permanecem indecisos Camarões, Angola e Paquistão.

Rússia, França, China, Alemanha e Síria estão fechados na oposição. A resolução será abortada se qualquer um dos três primeiros usar, na condição de membro permanente do Conselho, seu poder de veto.