Prejuízo anunciado pela France Telecom passa de EU$ 12 bi

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 13 de setembro de 2002 as 09:30, por: cdb

A France Telecom anunciou um prejuízo líquido de 12,18 bilhões de euros (US$ 11,95 bilhões) no primeiro semestre de 2002, em comparação com um lucro líquido de 1,95 bilhão de euros em igual período do ano passado. No período, as vendas subiram para 22,47 bilhões de euros (US$ 22,04 bilhões), de 20,42 bilhões de euros em 2001.

As baixas contábeis totalizaram 11,14 bilhões de euros (US$ 10,93 bilhões) no primeiro semestre, em relação a um ganho excepcional de 1,78 bilhão de euros em 2001. Do total das baixas contábeis no período, os encargos relacionados com a Mobilcom somaram 7,3 bilhões de euros (US$ 7,16 bilhões), e aqueles relativos à operadora britânica de cabos NTL foram de 1,7 bilhão de euros (US$ 1,66 bilhão).

A escala do prejuízo líquido da companhia e a volumosa dívida da empresa resultaram na saída do chairman e executivo-chefe Michel Bon. No final de junho de 2002, a France Telecom possuía uma dívida líquida de 69,7 bilhões de euros (US$ 68,3 bilhões), em relação aos 63,4 bilhões de euros no final de 2001. Contudo, o nível da dívida deverá declinar no segundo semestre devido a ganhos especiais relacionados com a venda de ativos concluída após 30 de junho e o esperado fluxo de caixa superior a 1,5 bilhão de euros (US$ 1,47 bilhão), afirma a empresa.

A France Telecom espera que o nível de suas linhas de crédito disponíveis, 7,15 bilhões de euros (US$ 7,01 bilhões) no final de junho, mantenha-se até o final deste ano. A companhia francesa afirmou que não investirá mais na parceira alemã Mobilcom, da qual detém uma participação de 28,5%, porém acrescentou que ainda pretende chegar a um acordo com os bancos e fornecedores da empresa alemã para a converter a dívida em bônus da Mobilcom em ações d a France Telecom. A France Telecom e os bancos da Mobilcom assinaram um memorando de entendimento em julho com relação a um crédito de 4,7 bilhões de euros (US$ 4,61 bilhões) à Mobilcom. As informações são da agência Dow Jones.