Prefeitura concederá reajuste de 7% a partir de abril (28/03/2012)

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 28 de março de 2012 as 05:11, por: cdb

Prefeitura concederá reajuste de 7% a partir de abril (28/03/2012)

A Prefeitura de Marília irá conceder reajuste salarial de 7% aos servidores, a partir de abril. A decisão foi anunciada pelo prefeito José Ticiano Dias Toffoli, durante reunião entre a comissão envolvida na elaboração do PCVC (Plano de Cargos, Vencimentos e Carreira), e representantes do Sindimmar (Sindicato dos Trabalhadores nos Serviços Públicos Municipais de Marília). A comissão é formada por representantes da Prefeitura, Daem (Departamento de Água e Esgoto de Marília), Câmara Municipal, Ipremm (Instituto de Previdência do Município de Marília), e o Magistério.

Estiveram presentes o chefe de Gabinete e responsável pelo expediente da SMA (Secretaria Municipal da Administração), José Carlos da Silva, o secretário municipal Adelson Lelis da Silva (Fazenda), o assessor de Assuntos Estratégicos, José Carlos de Souza Bastos (Beca), o procurador do município, Ronaldo Duarte, além de Maria Aparecida Giroto Deodato da Silva (responsável pela Folha de Pagamento da Prefeitura) e Susileni Dolfini Menossi Silva (coordenadora geral de Recursos Humanos), e o vereador Benedito Donizeti Alves.

“Estamos propondo, com este reajuste antecipado, uma situação de limite. Não podemos mais onerar a folha de pagamento, pois nos últimos meses já ultrapassamos os 50% da arrecadação, sendo que a Lei de Responsabilidade Fiscal estabelece comprometimento até 54%, e mesmo este valor não é o recomendado”, afirma Toffoli.

Toffoli ressalta a situação financeira do Tesouro Municipal e a necessidade de trabalhar com transparência. “Se não realizaremos a implantação do Plano de Carreira, é por uma questão de responsabilidade e de não ter recursos pra isso. Não adianta implantar e depois não conseguir cumprir, atrasar o pagamento dos servidores. Minhas condutas sempre serão transparentes”, expõe o prefeito.

Além do reajuste que será concedido aos servidores, adiantando o dissídio em dois meses, a Administração também reviu as distorções causadas pelas progressões verticais – concedidas anteriormente a 2001 –, que achatavam ainda mais os valores salariais.

Somente com o reajuste e a revisão de progressões, o impacto mensal na Folha de Pagamento será de cerca de R$ 1,5 milhão. Atualmente, a folha mensal ultrapassa os R$ 15 milhões. A Prefeitura é a maior empregadora da cidade, com 5.200 servidores.

Toffoli comenta que a Administração irá promover o saneamento das finanças da Prefeitura, para que no próximo ano, independente de quem assuma o Executivo, possa fazer os ajustes necessários se houver no PCVC e implantá-lo, “pois os servidores merecem, é justo, sem contar que promoverá melhoria no serviço e valorização do profissional”.

Foi proposto ainda na reunião que o sindicato dos servidores se mobilizasse para que buscasse reivindicações voltadas às conquistas sociais, para que fossem discutidas com a Administração oportunamente, para benefício dos servidores.

O presidente do Sindimmar, Mauro Cirino, lamenta a impossibilidade de se implantar o PCVC por conta da situação financeira, pois havia grande expectativa dos servidores, que sabem do que o Plano de Carreira representa para o funcionalismo municipal.

Cirino elogiou a postura transparente de Toffoli na condução do processo, mostrando toda a situação em que se encontram as finanças da Prefeitura. “Ele tem sido muito claro no que expõe, e isso é extremamente importante, pois assim ficamos sabendo de todo o processo”, finaliza o sindicalista.

Foto: Mauro Abreu