Prefeito Maroca promete analisar tarifas do Saae

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 27 de janeiro de 2012 as 02:49, por: cdb

O prefeito Mário Márcio Maroca se reuniu na tarde desta segunda-feira, em seu gabinete, com representantes de condomínios de prédios para tratar sobre as tarifas do Saae. Ao lado do procurador do município, Flávio Dumont, o prefeito ouviu as queixas dos condôminos – que consideraram exorbitantes as tarifas – e prometeu analisar a questão, determinando ainda à Procuradoria que encontrasse uma solução para o impasse junto ao Departamento Jurídico da autarquia.

O advogado Juninho Sinonô, porta voz dos condôminos, afirmou que: “a reunião é pra debater sobre o aumento da conta. Não queremos brigar, queremos dialogar para chegarmos a um consenso bom para todos”.

O procurador do município, Flávio Dumont agendou a reunião para esta terça-feira com o departamento jurídico do Saae. “Vamos debater para chegarmos a um consenso, a fim de que ninguém saia prejudicado. Constatado problemas em relação aos percentuais sobre as contas foi considerada a possibilidade de se proceder um refaturamento em tempo hábil, antes do vencimento”. A decisão deverá ser anunciada ainda nesta terça.

Sempre aberto ao diálogo e disposto a buscar a melhor solução para todos, o prefeito Maroca, enfatizou a sua disposição em ser justo. Segundo ele, o ônus político de determinada decisão é menos importante do que a atenção com o contribuinte e com o ser humano. “Não me preocupo com cargo político, preciso e quero ficar tranquilo com minha consciência. Seremos justos e vamos resolver isso da melhor maneira”, salientou.

Após a reunião, Maroca abriu espaço para que os 27 condôminos presentes opinassem sobre os serviços prestado pelo Saae e apontassem possíveis melhorias. Os condôminos questionam a portaria n° 23 de 26 de outubro de 2011, que defere que a partir do mês de novembro de 2011, cada ligação, obrigatoriamente, corresponderá a uma única fatura, independentemente do número de economias por elas atendidas, nos estritos termos do art. 115, da Lei nº 5.749, de 18/12/1998;