Prefeito inaugura primeira moradia transitória para dependentes adultos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 25 de janeiro de 2012 as 17:46, por: cdb

“Aqui será um espaço para salvar muitas vidas. Não é possível salvar a todos, mas eu espero que nós possamos sair daqui melhores do que entramos.” Com essa frase, Marcio Marques Fortini expressou o que espera da primeira República Terapêutica para adultos, inaugurada nesta quarta-feira (25/1), no Jardim do Mar, pelo prefeito de São Bernardo do Campo.

Participaram da inauguração o coordenador nacional de Saúde Mental e Álcool e Drogas do Ministério da Saúde, Roberto Tykanori, representando o ministro Alexandre Padilha, o secretário municipal de Saúde, técnicos e diversas autoridades.

“Estamos construindo uma rede forte em parceria com o governo federal que passa pelos serviços da nossa rede e temos efetuado um trabalho em sintonia com o Ministério da Saúde e com resultados bastante positivos. Nós não aceitamos a lógica de que produzir prisões seja a forma de promover o melhor tratamento, ao contrário da política adotada por alguns municípios e pelo Estado. Temos de conquistar e motivar o usuário para que ele se convença de que precisa deixar o álcool e as drogas. E isso se faz com ações como o Consultório de Rua e os Caps, entre outras”, afirmou o prefeito.

O espaço é uma moradia transitória para pacientes da saúde mental, voltada ao acolhimento de dependentes de álcool e outras drogas, muitos dos quais em situação de rua. Hoje seis pessoas estão morando no local, entre homens e mulheres. A unidade tem capacidade para atender até 15 adultos com histórico de abuso de substâncias psicoativas e com os vínculos familiares fragilizados.

Enquanto moram, provisoriamente, na casa, participarão de projetos terapêuticos e de geração de renda, desenvolvidos pelo Centro de Atenção Psicossocial (Caps) de Álcool e Drogas de adultos do município.

A casa tem cuidadores 24 horas e um técnico de nível superior que viabilizam o acolhimento e fazem visitas domiciliares às famílias dos acolhidos com o intuito de resgate dos vínculos. Eles também dão apoio à inclusão em projetos de geração de renda, de profissionalização e em atividades de reinserção social.

A cidade já conta com uma República Terapêutica destinada a crianças e adolescentes. Ela funciona no Bairro Taboão. A previsão é que, até o fim de 2012, sejam entregues mais quatro Repúblicas Terapêuticas para adultos.

Rede de atendimento –A atenção à saúde mental engloba dois Centros de Atenção Psicossocial de Álcool e Drogas (Caps AD) 24 horas (um de adulto e outro infantojuvenil). Esses espaços trabalham articulados com as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e a rede de urgência psiquiátrica e geral (Unidades de Pronto Atendimento). Além do Consultório de Rua, que consiste em uma equipe para intervenções psicossociais e educativas na rua atuando com os usuários de drogas.

Essas equipes contam com insumos para tratamento de situações clínicas comuns, além de preservativos, cartilhas e medicamentos de uso frequentes. Atualmente, além dos redutores de danos, o projeto reúne médico de saúde da família, enfermeiro, psicólogo, terapeuta ocupacional e técnico de enfermagem.

Com funcionamento 24 horas, os Caps AD Adulto e o Infantojuvenil passaram a acolher os usuários no momento da crise, contando para isso com oito leitos em cada unidade. Quando necessária a internação para desintoxicação clínica, são utilizados leitos do Pronto-socorro Central, enquanto não se inaugura o Hospital de Clínicas do município, previsto para junho de 2012, que terá 20 leitos para desintoxicação clínica.