PPS vai abrir processo para expulsar Blairo Maggi

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 27 de outubro de 2006 as 20:53, por: cdb

O PPS vai abrir processo de expulsão do governador do Mato Grosso, Blairo Maggi (PPS), por apoio à reeleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O PPS apóia a candidatura de Geraldo Alckmin (PSDB) à Presidência da República e alega que Maggi declarou apoio a Lula em troca da liberação de recursos federais.

Segundo a direção do PPS, a decisão de abrir o processo de expulsão de Maggi foi tomada depois que o presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Mato Grosso, Antônio Bitar, não aceitou a desfiliação do governador.

Na próxima terça-feira, a Executiva do PPS vai se reunir em Brasília para a abertura do processo de desfiliação. De acordo com o presidente do partido, o senador Roberto Freire (PPS-PE), a atitude de Maggi foi inaceitável do ponto de vista ético e “indigna” de um político sério.
– O PPS não está disposto a continuar no desconforto de ter um governador como esse entre seus filiados -, afirma Maggi.

O governador do Mato Grosso declarou que pediria a desfiliação do PPS por solicitação de Freire depois que declarou apoio a Lula, o que causou repreensão do presidente do partido.

– Ele foi comprado, é um megamensaleiro e não é o que queremos dentro do PPS -, disse Freire.

De acordo com o PPS, aconselhado pelo presidente do diretório regional do PPS no Mato Grosso, Percival Muniz, o governador mudou de idéia e disse que não se desfiliaria mais. O presidente do partido, que havia aceitado a desfiliação, enviou ao TRE matogrossense um comunicado informando que o governador não estava mais nos quadros do PPS. Ainda segundo o partido, o presidente do TRE do Mato Grosso não aceitou o comunicado do PPS.