Powell visita vala comum no Curdistão iraquiano

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 15 de setembro de 2003 as 11:26, por: cdb

O secretário de Estado dos Estados Unidos, Colin Powell, visitou hoje uma vala comum na cidade de Halabja, no Curdistão iraquiano, onde milhares de pessoas morreram há 15 anos em um ataque com armas químicas do Exército de Saddam Hussein. Powell, que iniciou ontem sua primeira visita ao Iraque desde a queda do regime de Saddam, em 9 de abril, viajou em um avião militar de Bagdá à cidade de Kirkuk, de onde partiu em um helicóptero até Halabja em companhia do Administrador Civil do Iraque, o americano Paul Bremer.

A visita de Powell a essa cidade é vista como uma tentativa de dar destaque às violações dos direitos humanos cometidas durante o regime deposto. EUA e Reino Unido invadiram o Iraque depois de acusar o regime de Saddam de desenvolver armas de destruição em massa, apesar de, por enquanto, ainda não terem encontrado armas deste tipo no território iraquiano.

O massacre de Halabja aconteceu em março de 1988, no fim da guerra entre o Irã e o Iraque, quando o regime de Saddam atacou com armas químicas os habitantes da cidade após acusá-los de conspirararem contra Bagdá junto com outros iraquianos.

Powell, que visita o Iraque sob rígidas medidas de segurança, deve se reunir hoje com os dois principais líderes da região, Yalal Talbani, líder da União Patriótica do Curdistão (UPK), e Masud Barzani, líder do Partido Democrático Curdo (KDP). Talbani e Barzani são membros do Conselho de Governo provisório, criado em julho pela Administração Civil do Iraque, comandada pelo americano Paul Bremer para dirigir os assuntos do país durante o período de transição.

Powell se reuniu ontem com várias autoridades locais em Bagdá, onde disse que a transferência de poder aos iraquianos deverá vir precedida de uma nova constituição e de eleições, embora não tenha querido dar datas, ao mesmo tempo que afirmou que seu país não é uma nação “ocupante”.