Portal do Estadão é o mais confiável site de notícias, mostra pesquisa

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 26 de janeiro de 2005 as 20:32, por: cdb

O portal estadao.com.br é o endereço de notícias mais confiável da internet brasileira. A conclusão é da pesquisa Barômetro de Confiança Edelman 2005, realizada em vários países do mundo e que será divulgada no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça.

Na pesquisa, o portal do Grupo Estado aparece com 13% de confiabilidade à frente do globo.com, com 9% e do Folha-UOL com 7%. O portal terra aparece com 5%. O porcentual de confiança de formadores de opinião na internet é alto no Brasil. Tanto que, no Reino Unido, o portal bbc, o mais confiável, aparece com 9% de indicações.

Tanto que a pesquisa destaca o crescimento da internet como fonte confiável de informação em várias partes do mundo, mas chama a atenção para o desempenho do meio no País.

Entre os formadores de opinião brasileiros, a internet é a terceira mídia mais procurada para a obtenção de informações, com 21% da preferência, perdendo apenas para a televisão (33%) e os jornais impressos (27%), mas bem à frente das revistas de informação (11%) e do rádio (6%).

O levantamento foi realizado em dezembro com formadores de opinião com idade entre 35 e 64 anos, renda superior a US$ 75 mil dólares e curso superior. Os dados foram levantados por telefone, durante entrevista de 25 minutos, sendo 400 entrevistas realizadas nos Estados Unidos, 200 na China e 150 na Alemanha, Brasil, Canadá, França, Grã-Bretanha e Japão.

A pesquisa também apontou que os formadores de opinião acreditam mais em informações obtidas em artigos e notícias do que nas veiculadas por publicidade. No Brasil, 80% acreditam no noticiário e apenas 17% na propaganda, correlação que chega a 96% na Alemanha em relação a 1%, com 3% de indecisos (não sabe/não respondeu). O que reforça a credibilidade dos meios de comunicação informativos, incluindo a internet que é um dos destaques dessa pesquisa que é realizada há cinco anos e há dois incluiu o Brasil.