População lincha soldado dos EUA

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 24 de março de 2003 as 13:35, por: cdb

Um incidente nesta segunda-feira assustou as tropas que invadiram o território iraquiano. Civis, parecendo amistosos, aproximaram-se de um soldado norte-americano, nas proximidades de Nasiryia, mas ele foi morto a tiros logo em seguida. Em outro front, tropas britânicas estariam sendo “sugadas por uma guerra urbana” em Basra, a segunda maior cidade do Iraque. As informações foram divulgadas por um porta-voz das Forças Armadas britânicas, no Kuwait. As tropas britânicas encontram-se ao redor de Basra e disparam contra soldados iraquianos, que retaliam com ferocidade.

Os iraquianos que lutam em Basra, segundo o porta-voz britânico, somam mil pessoas. Eles estariam apontando armas contra as tropas britânicas e americanas e usando civis como escudos humanos.

Em um outro desdobramento da guerra, várias explosões continuam sendo ouvidas em Bagdá nesta segunda-feira. Elas recomeçaram minutos após o discurso do presidente Saddam Hussein, transmitido pela TV iraquiana. Durante a madrugada de segunda-feira, Badgá sofreu o segundo bombardeio mais intenso desde o início da guerra.

Dificuldades

Soldados americanos afirmaram que continuam também tendo dificuldades, encontrando alguma resistência iraquiana, em Nasiriya, localizada na beira do rio Eufrates.

A conquista da cidade é considerada estratégica para, mais tarde, as tropas americanas e britânicas tomarem Badgá.

O ministro da Defesa do Iraque, Sultan Hashim Ahmed, afirmou mais cedo que as tropas britânicas e americanas mobilizadas no deserto estão enfrentando resistência em todas as cidades que tentaram entrar.

Ahmed se referia às cidades de Umm Qasr, Basra, Nasiriyah, Samawah e Najaf. Na primeira, segundo o ministro, as forças lideradas pelos Estados Unidos não conseguiram continuar seu avanço.

O iraquiano disse ainda que as tropas dos Estados Unidos e da Grã-Bretanha vão pagar um preço alto para tomar a cidade de Basra.

Tiroteios

Foram registrados também intensos tiroteios entre helicópteros americanos e a Guarda Republicana do Iraque nas proximidades de Karbala, a cerca de 80 quilômetros de Bagdá.

Essa teria sido a batalha mais próxima da capital iraquiana até o momento.

Segundo um analista da BBC, a situação enfrentada pelas tropas da coalizão no sul do país, principalmente na região de Basra, não é tão estável quanto se esperava.

Até agora, os americanos e britânicos já admitiram ter sofrido pelo menos 22 baixas, além de ter cerca de pelo menos 14 feridos.

Prisioneiros

Enquanto isso, a rede de televisão Al-Jazeera, do Catar, levou ao ar imagens de quatro corpos e pelo menos um ferido – todos seriam soldados dos Estados Unidos – e entrevistas com o que seriam cinco americanos prisioneiros de guerra.

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, ameaçou levar à Justiça por crimes de guerra todos os iraquianos que maltratarem prisioneiros americanos.

O secretário de Defesa americano, Donald Rumsfeld, admitiu que existem soldados americanos desaparecidos e também condenou a exibição de imagens com supostos prisioneiros americanos, alegando que isso viola a Convenção de Genebra

Rumsfeld disse ainda que os EUA já capturaram cerca de 2 mil iraquianos, que estariam sendo bem tratados como prisioneiros de guerra, e que esperava que americanos recebessem o mesmo tratamento.