Políticos seqüestrados pelas Farc pedem acordo por meio de carta

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 23 de setembro de 2003 as 23:18, por: cdb

Uma congressista e três ex-parlamentares colombianos seqüestrados pela guerrilha das Farc reclamaram, por meio de uma carta divulgada nesta terça, um acordo que permita sua libertação e destacaram que suas condições de saúde são dramáticas.

A missiva foi enviada ao Congresso pela congressista Gloria de Losada e os ex-parlamentares Consuelo González de Perdomo, Orlando Beltrán e Jorge Eduardo Gechem, seqüestrados pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

– Nossa situação é mais que crítica, da mesma forma que a de outros servidores públicos que levam mais de seis anos de retenção. Estamos gravemente doentes de malária, leishmaniase e outras doenças próprias desta inóspita selva – expressaram na carta, na qual denunciam falta de atenção médica e de medicamentos.

Os quatro políticos foram incluídos pelas Frac na lista de mais de 60 reféns que a guerrilha aspira trocar pelos mais de 500 rebeldes desse grupo preso nas prisões nacionais como parte de um acordo humanitário.

O governo do presidente do país, Álvaro Uribe, aceitou em princípio dito acordo, mas o condicionou à mediação da ONU, que não teve contatos bem-sucedidos com delegados das Farc. “Os acordos de tipo humanitário não são novos, nem novidadeiros em absoluto fora do marco legal”, sublinharam os assinantes da mensagem.

Eles reclamaram “mais ação real para concretizar um acordo de tipo humanitário, que sabemos que com os senhores se vão redobrar os esforços nesta legislatura, na esperança de salvar a vida de muitos colombianos”.

Entre os seqüestrados das Farc figuram a ex-candidata presidencial independente Ingrid Betancourt, doze deputados do departamento do Vale do Cauca, um ex-governador, um ex-ministro e dezenas de soldados e policiais.