Políticos e religiosos ultraconservadores disputam votos no Irã

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 2 de março de 2012 as 09:32, por: cdb
Irã
Em 2009, as eleições no Irã já geravam protestos por parte dos eleitores

Os iranianos votavam nesta sexta-feira nas eleições parlamentares que devem reforçar o poder dos clérigos encabeçados pelo líder supremo, o aiatolá Ali Khamenei, frente a seus rivais políticos ultraconservadores liderados pelo presidente do país, Mahmoud Ahmadinejad.

É pouco provável que o pleito tenha muito impacto na política exterior do Irã, já que seu controverso programa nuclear e as relações internacionais já são estritamente controlados por Khamenei.

Mas poderia permitir aos clérigos reforçar seu poder na hora de definir o cenário político antes das eleições presidenciais previstas para 2013.

Num momento em que o Irã enfrenta um crescente isolamento internacional, sanções ocidentais por seu programa nuclear e a ameaça de ataque por parte de Israel, os líderes iranianos têm pedido uma alta participação dos eleitores para aumentar a sua legitimidade.

– Há muita propaganda negativa contra a nossa nação… as potências arrogantes estão nos insultando para manter seu prestígio. Uma alta participação será melhor para nossa nação…e para manter a segurança – disse Khamenei após votar – Quanto maior é a inimizade para com o Irã, maior é a importância das eleições – acrescentou.

As eleições desta sexta-feira são as primeiras desde as disputadas eleições presidenciais de 2009, quando manifestantes opositores e pró-democracia foram confrontados pelas forças de segurança.

Neste pleito, grupos reformistas de destaque indicaram que ficarão distantes da votação, preparando o terreno para uma competição direta entre os seguidores de Khamenei e os de Ahmadinejad.

No entanto, uma baixa participação poderia destacar até que ponto existe decepção entre os eleitores iranianos pelo resultado das eleições presidenciais de 2009.

A rádio estatal informou que as seções eleitorais abriram às 8h locais (1h30 no horário de Brasília) e devem fechar às 11h30 (horário de Brasília), embora em outras ocasiões o prazo para votação foi ampliado.