Polícia procura homem que assaltou a casa dos aprentadores do JN

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 2 de fevereiro de 2005 as 08:51, por: cdb

A polícia do Rio tenta localizar o homem que assaltou a casa de William Bonner e Fátima Bernardes, apresentadores do <i>Jornal Nacional</i>, da Rede Globo, na madrugada de terça-feira.

A casa fica em um condomínio de luxo na Barra da Tijuca (zona oeste). O sistema de segurança, porém, não flagrou a entrada do suspeito.

O criminoso entrou na casa dos jornalistas pela janela da área de serviço e seguiu para o quarto do casal.

Durante a ação, Bonner tentou mobilizar o assaltante, que estava armado, e sofreu uma contusão no cotovelo. Após o roubo, o assaltante trancou o casal em um dos banheiros. Os três filhos do casal permaneceram dormindo.

O assaltante fugiu levando jóias, celulares e um laptop.

Bonner afirmou que não tem condições de ajudar a polícia a elaborar um retrato falado do criminoso porque seus olhos ficaram fixados nos movimentos da arma. Sabe-se apenas que era negro, forte, de cerca de 1,70 metro de altura e com idade por volta dos 30 anos.

Ontem, o casal não esteve à frente do <i>Jornal Nacional</i>, que foi apresentado por Márcio Gomes e Heraldo Pereira. Fátima e Bonner devem voltar a apresentar o programa na segunda-feira (7).


Por meio da assessoria de imprensa da Central Globo de Comunicação, Bonner emitiu uma nota sobre o assalto.

– Por volta das duas da madrugada desta terça-feira, um homem armado invadiu nossa residência, surpreendendo-nos no momento em que dormíamos. Ele exigia dólares, reais e ouro. Depois de informarmos que só tínhamos jóias em casa, ajudei o assaltante a recolher o que lhe interessava. Passados cerca de 45 minutos sob a mira de uma pistola, desesperado com o que poderia ocorrer com minha família, contrariei todas as recomendações de autoridades policiais, em que verdadeiramente sempre acreditei. Num momento de distração do assaltante, tentei desarmá-lo. Não consegui. Após um princípio de luta, sofri uma contusão no cotovelo direito.

Felizmente, o assaltante manteve o sangue frio. Não atirou. Deixou apenas prejuízos materiais e um trauma de que queremos nos livrar o mais rapidamente possível.

Durante o assalto, meus olhos se concentraram nos movimentos da arma, motivo pelo qual não temos condições de fornecer descrição para um retrato-falado. Estamos todos bem e agradecemos o carinho.