Polícia prende seis pessoas acusadas de envolvimento no confronto entre torcidas organizadas em São Paulo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 27 de março de 2012 as 16:17, por: cdb

Elaine Patricia Cruz
Repórter da Agência Brasil

São Paulo – Seis pessoas foram presas hoje (27) acusadas de participação no conflito de domingo (25) envolvendo torcedores da Gaviões da Fiel, do Corinthians, e da Mancha Alviverde (antiga Mancha Verde, do Palmeiras. Os mandados são de prisão temporária pelo prazo de 30 dias. A polícia continua levantando a identidade de mais torcedores envolvidos nos atos de violência e anunciou que alguns fugiram para outros estados, mas que também podem ser presos nas próximas horas.

Durante a manhã, policiais da Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi) e do Departamento Estadual de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) cumpriram mandados de busca, apreensão e prisão nas sedes das duas torcidas, onde foram apreendidos computadores, uniformes e R$ 150 mil.

O conflito resultou até agora na morte de dois torcedores do Palmeiras, um deles com morte cerebral, de acordo com os médicos. Os atos de violência envolvendo as duas torcidas ocorreram na zona norte da capital, antes do jogo entre o Palmeiras e Corinthians pelo campeonato paulista.

O delegado Jorge Carlos Carrasco, diretor do DHPP, disse esta tarde acreditar que o principal motivo para o confronto foi a vingança pela morte de um torcedor do Corinthians, ocorrida em 2011. “Tudo leva a crer que a motivação [para o confronto] foi a morte de um corintiano no ano passado”, destacou.

Por meio de um comunicado na internet, a torcida Mancha Alviverde declarou ter sido vítima de uma emboscada. Durante entrevista coletiva, a delegada Margarette Barreto, do Decradi, disse que não há mocinhos no caso. “A Mancha não pediu escolta policial e saiu da zona norte buscando o confronto. Eles não queriam a polícia interferindo na vida deles”, declarou.

 

Edição: Aécio Amado