Polícia prende acusado de comandar assalto à casa do ministro do STJ

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 26 de maio de 2003 as 19:32, por: cdb

A coordenadoria de Recursos Especiais da Polícia Civil (Core) prendeu, na tarde desta segunda-feira, Felipe Pimentel de Oliveira Costa Vieira. Ele é acusado de comandar o assalto à casa do ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Luiz Fux, em Copacabana. Felipe Pimentel está sendo levado para o IML para fazer exame de corpo de delito.

O desembargador Cláudio de Melo Tavares, da 1ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, acaba de sair da casa do ministro Luiz Fux, do Superior Tribunal de Justiça, que foi agredido na última sexta-feira (23) pela quadrilha de Felipe Pimentel de Oliveira, o Felipinho, de 22 anos.

O desembargador classificou como uma injustiça brutal o ataque ao amigo. Ele defendeu uma tomada de providências rápidas, porque, conforme frisou, a situação da violência no Rio está se agravando.

Fux contou a Cláudio Tavares que foi dominado e começou a ser agredido ainda na portaria do prédio onde mora, na Rua Dias da Rocha, em Copacabana. O ministro teve alta no final da noite do Copa D’Or, onde passou dois dias internado. Ele ainda não decidiu se fala com a imprensa nesta segunda-feira.

Delegada pede colaboração da população para denunciar criminosos

O ministro e seus filhos, Rodrigo, 19 anos, e Marianna, 21, foram agredidos durante o assalto. Peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli confirmaram a participação de Felipe Pimentel de Oliveira Costa Vieira, o Felipinho, 22 anos, através das impressões digitais deixadas no apartamento. O próprio ministro confirmou, através de fotografia no Hospital Copa D’Or, o envolvimento do jovem, nascido e criado em Copacabana.

Os três comparsas de Felipinho foram identificados por denúncias. A delegada Marta Cavalieri, da 13ª DP (Ipanema) não revelou nomes, mas admitiu que as prisões dos comparsas, também moradores na Zona Sul, estão próximas. Segundo ela, podem ser mais de quatro os envolvidos. “Os outros teriam planejado o crime”, suspeita.

Ela pediu a colaboração da população pelo Disque-Denúncia
Telefone: 2253-1177 ou pelo telefone delegacia 3399-7080.