Polícia Federal liberta argentinos presos no Pará

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 24 de setembro de 2003 as 20:23, por: cdb

Treze argentinos foram detidos pela Polícia Federal nesta quarta-feira enquanto distribuíam panfletos contra a prisão da líder da seita Lineamento Universal Superior (LUS), Valentina de Andrade, acusada de participação na mutilação e assassinato de crianças em Altamira, Pará, no fim dos anos 80. Valentina será julgada na próxima segunda-feira.

Segundo o superintendente em exercício da Polícia Federal no Pará, Néder Duarte, a detenção dos estrangeiros foi uma medida administrativa, amparada no artigo 107 da Constituição Federal, que proíbe estrangeiros admitidos em território nacional de “organizar desfiles, passeatas, comícios e reuniões de qualquer natureza”. Mesmo sendo liberados logo depois, os argentinos foram notificados de que devem se retirar do país em prazo ainda a ser estipulado pela Polícia Federal.

A PF acredita que os argentinos sejam integrantes da seita LUS. Valentina de Andrade, que está detida por ter tentado fugir do país antes do julgamento, divulgou uma carta em que se compara a Jesus Cristo, Nietzche, Galileu, Sócrates e Schoppenhauer e afirmou que os advogados não conseguirão provar sua inocência porque “ela já está condenada desde o primeiro momento”.