Polícia expulsa governador de cargo na Argentina

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 14 de março de 2007 as 19:55, por: cdb

O governador da Província argentina de La Rioja, Angel Maza, foi expulso nesta quarta-feira do palácio de governo regional, depois de ter se recusado a acatar a Justiça e legislatura locais – que decidiram que ele deveria deixar o poder.

Policiais usaram bombas de gás lacrimogêneo e balas de borracha para vencer a resistência de simpatizantes de Maza, que cercavam o palácio onde o governador tinha se trancado. Várias pessoas ficaram feridas.

Opositores do governador também foram às ruas para protestar contra sua recusa em deixar o cargo.

Maza, que é acusado de corrupção e nepotismo, disse a assessores que esperava a intervenção do presidente Néstor Kirchner para tentar resgatá-lo da crise política em que se meteu há mais de um ano e que se intensificou nas últimas horas.

– Somos dois governadores -, declarou Maza na noite de segunda-feira – logo depois que os legisladores provinciais decidiram seu afastamento -, referindo-se a seu vice e inimigo político, Luis Beder Herrera.

Herrera anunciou que o lugar era dele, assumiu o cargo, interinamente, e convocou eleições antecipadas em 120 dias. Na sua primeira entrevista como governador, ele confessou que apóia o processo político contra Maza e já tinha escolhido sua equipe e tomado as “rédeas” da polícia antes mesmo que seu agora antecessor libera-se o palácio.

– Não existem dois governadores, mas um só e sou eu -, disse.

Os legisladores de La Rioja decidiram suspender Maza por 30 dias, período em que ele deve responder ao processo judicial que pode destituí-lo de forma definitiva.

Essa é a primeira vez, desde a volta da democracia à Argentina, em 1983, que um governador deixa a cadeira antes de concluir o mandato em La Rioja.