Polícia evita terror na Europa e Ásia

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 30 de março de 2004 as 12:27, por: cdb

A polícia antiterror da Grã-Bretanha anunciou nesta terça-feira a apreensão de uma grande quantidade de material explosivo e a prisão de oito pessoas suspeitas de envolvimento com o terrorismo islâmico em uma megaoperação nesta madrugada em Londres e no Sudeste da Inglaterra. Enquanto os ingleses realizavam a operação, o governo das Filipinas anunciava que suas forças de segurança evitaram um ataque terrorista “do nível de Madri” na capital Manila com a prisão de quatro suspeitos de serem radicais islâmicos e a apreensão de uma grande quantidade de explosivos.
 
Na Inglaterra, a operação, levada a cabo pela Scotland Yard, não está relacionada com o IRA (Exército Republicano Irlandês) ou os recentes atentados a bomba em Madri, de acordo com a polícia. O chefe da divisão antiterrorismo da Scotland Yard, Peter Clarke, disse a jornalista que foi confiscada meia tonelada de fertilizante de nitrato de amônio em um depósito a oeste da capital, que pode ser usado na fabricação de explosivos. Oito britânicos com idades entre 17 e 32 anos foram presos com base na Lei contra o terrorismo do país e são suspeitos de “ter cometido, preparado ou estar preparando atos de terrorismo”, disse Clarke.

Cerca de 700 policiais participaram da blitz em 24 locais nas regiões de Sussex, Surrey, a região de Thames Valley, Londres e Bedfordshire. A Scotland Yard disse que a operação ainda está em andamento.

Nas Filipinas, o suposto plano frustrado de membros do grupo Abu Sayyaf foi anunciado no momento em que a campanha política esquenta antes das eleições gerais de 10 de maio, nas quais a presidente Glória Macapagal Arroyo, forte aliada dos EUA na guerra ao terror e que busca a reeleição.

– Evitamos um ataque do nível do de Madri na capital ao confiscar 36 quilos de TNT que seriam usados para ataques em centros comerciais e trens de Manila – disse a presidente em pronunciamento na TV.

De acordo com autoridades filipinas, os quatro suspeitos, incluindo alguns envolvidos em seqüestros de estrangeiros pelo Abu Sayyaf, foram presos em operações em Manila no fim de semana e na segunda-feira passados.

O anúncio das prisões acontece três semanas após as explosões em Madri, nas quais morreram 190 pessoas.