PMDB fará reunião para discutir proposta de Lula

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 21 de março de 2003 as 18:50, por: cdb

Os líderes do PMDB vão reunir suas bancadas na próxima semana para analisar o convite feito hoje pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que o partido integre a base parlamentar e o governo. Os senadores terão encontro na quarta-feira e os deputados na terça-feira. Além disso, o presidente do PMDB, deputado Michel Temer (SP), que não está participando das negociações, entrará no circuito para fazer as consultas entre os dirigentes partidários.

O PMDB quer saber se a aliança nacional poderá ser estendida aos Estados, já que no almoço o presidente Luiz Inácio Lula da Silva falou, pela primeira vez, que trabalhará para que o acordo político tenha desdobramentos no plano eleitoral em 2004 e 2006.

O PT e os outros partidos da base governista são adversários do PMDB em muitas prefeituras e Estados. Na conversa, Lula, segundo informações do senador Renan Calheiros (PMDB-AL) e Eunício Oliveira (PMDB-CE), foi mais enfático que das outras vezes, ao fazer o convite ao partido, o presidente ressaltou o aspecto estratégico da aliança.

A participação do PMDB em ministérios deverá ocorrer em outra etapa e, por enquanto, a proposta do governo é de integrar o partido em foros de discussão política como conselhos e outros foros que teriam a participação dos presidentes e líderes dos partidos aliados.

Eunício Oliveira disse que fará o que for preciso para viabilizar essa integração. Inclusive levar pessoalmente a proposta aos deputados e senadores numa reunião. Estrategicamente, o presidente deixou claro que sem o PMDB o governo terá dificuldades para aprovar as reformas. “Não haverá aprovação fácil das reformas sem o PMDB”, teria dito o presidente, conforme afirmou Oliveira. “Além disso, tem muita gente que torce para que o casamento com o PMDB não aconteça para enfraquecer o governo no Congresso”, continuou Lula, segundo relatode Renan Calheiros (AL), referindo-se ao PSDB e PFL.